|

Promotoria ajuíza ação de improbidade contra prefeita de Juarez Távora

A Promotoria de Justiça de Alagoa Grande entrou com uma ação civil pública por ato de improbidade administrativa contra a prefeita Maria Ana Farias dos Santos, do Município de Juarez Távora, em razão da contratação ilegal de servidores públicos sob disfarce de execução de programa social destinado a pessoas carentes.
De acordo com o promotor de Justiça João Benjamim Delgado Neto, a ação é resultado de um inquérito civil público instaurado a partir do encaminhamento, pelo Juízo da 9ª Zona Eleitoral. A investigação da Promotoria mostrou que, na qualidade de gestora máxima de Juarez Távora, durante os exercícios de 2014 e 2016, a prefeita se utilizou de programa social direcionado a pessoas carentes para, na verdade, promover a contratação de servidores públicos em desrespeito às normas constitucionais e legais que determinam a realização de concurso público como regra para ingresso no serviço público. Além disso, pagou remuneração, em contraprestação pelo serviços executados, em valor inferior ao mínimo exigido constitucional.
Segundo a ação, em 2013 a prefeita criou, por meio de lei municipal, o “Programa de Ação Comunitária Municipal” para, entre outros objetivos, desenvolver ações de caráter comunitário e incentivar a participação das pessoas em projetos comunitários. O programa criou um vale-alimento no valor de R$ 30 por dia, com limite máximo de 20 vales por mês.
“Entretanto, a documentação inserida nos autos, notadamente as notas de empenhos dos valores pagos a título de ‘vale-alimento’ aos carentes durante os exercícios financeiros de 2014 e 2016, demonstra que a execução do programa social em comento serviu, pura e simplesmente, para mascarar a contratação de funcionários em total afronta às normas constitucionais e legais, pagando-lhes remuneração inferior ao valor mínimo exigido por nossa Constituição Cidadã”, diz o promotor na ação.
Conforme depoimentos de testemunhas constante nos autos da Aije, a prefeita contratava garis utilizando o disfarce de beneficiário de programa social com o objetivo de burlar a regra do concurso público, bem como efetuar pagamento a menor que o salário mínimo previsto na Constituição Federal.
Pedidos
A ação pede tutela de urgência para impor ao Município de Juarez Távora, a obrigação de desligar os garis que estejam prestando serviços na qualidade beneficiários de programa social e não fazer consistente na abstenção de contratação de novos garis na qualidade de beneficiário do programa social.
A prefeita deve sofrer as sanções previstas no art. 12, III da Lei 8.429/92, entre elas perda da função pública; suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos; e pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração percebida pelo agente.
Portal Correio

Compartilhe :

veja também

0 comentários Em: "Promotoria ajuíza ação de improbidade contra prefeita de Juarez Távora "

Deixe um comentário!

Atenção: Não escreva pornografia ou ofensa pessoal.

Faça seu orçamento sem compromisso!
Faça parte desta campanha! Publicidade how to make gifs Publicidade how to make gifs Publicidade how to make gifs

últimas notícias