|

Defesa de Lula apresenta dois recursos pela candidatura do ex-presidente

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) entrou, na noite desta terça-feira (4), com dois recursos para tentar garantir a candidatura do petista nas eleições presidenciais deste ano. Um dos recursos foi apresentado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e outro no STF (Superior Tribunal Federal. Na semana passada, ele foi considerado inelegível pelo TSE .
Preso desde abril após condenação por corrupção e lavagem de dinheiro no caso tríplex da Lava Jato, Lula já foi condenado em segundo instância na Justiça e, portanto, não pode concorrer à cargos públicos de acordo com a Lei da Ficha Limpa.
No entanto, a defesa do ex-presidente alega que a decisão do Comitê de Direitos Humanos deve ser acatada pelo Brasil, algo que a maioria dos ministros do TSE não concordaram durante seus votos. Apenas Edson Fachin votou pela candidatura de Lula, contra outros seis magistrados.
Em seu site oficial, o Partido dos Trabalhadores listou os motivos pelos quais considera a decisão da ONU vinculante, em nota assinada por Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Zanin Martins, advogados do ex-presidente. Confira:
(i) o Pacto de Direitos Civis e Políticos da ONU foi aprovado pelo País em 1992 (Decreto Legislativo nº 582/91);
(ii) o Brasil reconheceu a competência do Comitê de Direitos Humanos da ONU para analisar comunicados individuais sobre violações ao Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos (Decreto Legislativo nº 311/09);
(iii) a Constituição Federal impõe a exigibilidade irrestrita dos direitos humanos na ordem interna e a eficácia imediata das normas sobre o temas (art. 5o, § 1º), o que inclui as decisões do Comitê de Direitos Humanos da ONU;
(iv) Não cabe aos órgãos judiciários brasileiros sindicar as decisões proferidas pelo Comitê de Direitos Humanos da ONU, mas, sim, dar cumprimento às obrigações internacionais assumidas pelo Brasil.
Com isso, a defesa do petista pede para o que o STF pede para o STF suspenda os efeitos da condenação do petista, o que o tornaria elegível para as eleições deste ano.
No outro recurso, apresentando algumas horas depois no TSE, a defesa considera que é o STF quem deve decidir se a decisão da ONU é ou não vinculante. Rosa Weber, presidente do TSE e também ministra do Supremo, é quem vai decidir se o argumento da defesa é constitucional.
Vice de comitê da ONU criticou o Brasil
A vice-presidente do Comitê de Direitos Humanos da ONU, Sarah Cleveland, lamentou a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em barrar a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), desconsiderando recomendação do órgão das Nações Unidas, que pedia a adoção de medidas que assegurassem o petista nas eleições.
Em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo , Sarah explicou que a decisão do comitê da ONU , constituído por 18 peritos independentes, visava garantir que o ex-presidente tivesse seus direitos políticos assegurados até que haja uma decisão final da Justiça a respeito do caso tríplex, no qual o petista já foi condenado em segunda instância por corrupção e lavagem.
“O Comitê de Direitos Humanos considera a falha em cumprir com as medidas cautelares como uma violação ao Protocolo Adicional e, se a situação continuar como tal, o Comitê comunicará isso ao governo em seu devido tempo”, disse Sarah ao Estadão . “A ação do Brasil é muito lamentável.”
O Brasil é signatário do protocolo que valida a ação do Comitê de Direitos Humanos das Nações Unidas, o que abre possibilidade para que qualquer indivíduo recorra ao órgão contra o Estado brasileiro. Segundo Sarah, o Brasil deveria ter apresentado suas considerações ao próprio comitê já que discordava das recomendações sobre a candidatura de Lula , e não “argumentar que os tribunais domésticos não devem seguir as medidas cautelares”.
Fonte: Último Segundo

Compartilhe :

veja também

0 comentários Em: "Defesa de Lula apresenta dois recursos pela candidatura do ex-presidente"

Deixe um comentário!

Atenção: Não escreva pornografia ou ofensa pessoal.

Faça seu orçamento sem compromisso!
Faça parte desta campanha! Publicidade how to make gifs Publicidade how to make gifs Publicidade how to make gifs

últimas notícias