|

Criança é a primeira vítima do H1N1 na Paraíba

A Secretaria Estadual de Saúde da Paraíba (SES) confirmou a primeira vítima do vírus H1N1 na Paraíba. De acordo com o órgão, trata-se de uma criança que contraiu o vírus. Além dela, outra pessoa também foi infectada, mas não morreu.

A SES que revelou ainda que outros 14 casos de pacientes suspeitos de terem sido infectados com o vírus Influenza (tipo A e outros) continuam em investigação. De acordo com a SES, 19 pessoas foram infectadas pelo vírus em 2017, e destes, seis casos evoluíram para óbito.

Os sintomas causados pelo vírus H1N1 se assemelham muito a uma gripe comum, só que são mais fortes, conforme explicou o pneumologista Sebastião Costa. “São cinco dias de febre muito alta, dor nas articulações, indisposição, tosse”, enumerou.

Segundo ele, o problema não é a gripe em si e sim as complicações que podem advir dela, principalmente em pacientes que têm o sistema imunológico comprometido. Pacientes renais crônicos, com asma, diabetes e cardiopatias estão mais sujeitos aos desdobramentos da doença, assim como crianças com menos de dois anos e idosos com mais de 60.



“A virose tem uma tendência de reduzir a imunidade, a secreção atrai bactérias, assim como a necrose celular. Isso pode levar a complicações como bronquite, pneumonia (que é mais grave) ou síndrome respiratória aguda, que deriva do próprio H1N1”, esclareceu o médico.

Para alertar as pessoas sobre a prevenção e vacinação contra a influenza no dia 23 começa a 20ª campanha de vacinação começando pela imunização de gestantes e trabalhadores de saúde. Para os demais grupos prioritários a vacinação começa no dia 7 de maio.

Campanha

Os grupos prioritários para a vacinação são indivíduos com 60 anos de idade ou mais; crianças maiores de seis meses e menores de cinco anos de idade; as gestantes e as puérperas (até 45 dias após o parto); os trabalhadores de saúde; os povos indígenas; os grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais; os adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas; a população privada de liberdade; os funcionários do sistema prisional e os professores das escolas públicas e privadas.

O público-alvo a ser vacinado é de aproximadamente 1.070.000 pessoas. As vacinas, que serão enviadas pelo Ministério da Saúde de maneira fracionada durante os meses de abril, maio e junho, estarão disponíveis nas salas de vacinas nos 223 municípios do Estado. Serão distribuídas 1.176.700 doses na Paraíba.

A gerente operacional de Vigilância Epidemiológica da SES-PB, Izabel Sarmento, explicou que a vacina é feita à partir da investigação dos casos das Unidades Sentinelas. “Temos Unidades Sentinelas na Oceania, Hospital Edson Ramalho e no Hospital do Valentina”.

As Sentinelas são coletas feitas semanalmente e encaminhadas para o laboratório de referência. “À partir daí, a gente sabe o que circula durante o ano no estado da Paraíba. A vacina é produzida anualmente a partir da investigação do que circula em cada estado”, disse.

*Texto de Bárbara Wanderley, do Jornal Correio da Paraíba

Compartilhe :

veja também

0 comentários Em: "Criança é a primeira vítima do H1N1 na Paraíba "

Deixe um comentário!

Atenção: Não escreva pornografia ou ofensa pessoal.

Faça seu orçamento sem compromisso!
Faça parte desta campanha! Publicidade how to make gifs Publicidade how to make gifs Publicidade how to make gifs

últimas notícias