|

Não à pátria amada? O prefeito Sobrinho acabou com o "7 de setembro" em Alagoa Grande

Hoje, começamos nos perguntando o porquê de o prefeito Sobrinho não ter promovido nenhuma festividade para o tradicional "dia 7 de Setembro" em nosso município.
O povo alagoagrandense está deverasmente decepcionado com tudo isso que aconteceu, pois jamais imaginaríamos que o professor e prefeito de nossa terra fosse deixar de lado algo tão significativo para nós, como são os desfiles em homenagem à semana da pátria.
Em uma geração já tão defasada quanto ao respeito cívico, que exemplo passar para as nossas crianças e adolescentes? Não há envolvimento escolar, social, cultural, nada que venha a repassar valor e ética, restando somente o atrativo do submundo da marginalização, das drogas e detenções.
Ah, que saudades dos tempos em que a nossa cidade recebia diversos turistas só pra assistir aos desfiles das nossas escolas e instituições; época em que havia uma movimentação intensa nas "rivalidades" de quem iria se apresentar melhor! Dava gosto de ver as ruas lotadas, o orgulho de quem desfilava e a admiração de quem assistia.
Desprezar essa data, além de desvalorizar a pátria já tão combalida, é acima de tudo, menosprezar a cidadania brasileira. Sim, sabemos que ninguém quer sair da frente do computador, do celular, todos acham que ninguém leva mais a sério isso, que está ultrapassado. Mas será mesmo? E se ao menos tentássemos? Nossas crianças precisam ser moldadas, e quanto aos adolescentes só querem atenção e cuidado. Será que não cairia bem uma foto do desfile no Instagram? Expor com orgulho a cidade?
E com o pensamento preconcebido de que “ninguém quer, ninguém vai”, sem qualquer estímulo por parte do Prefeito e, consequentemente, dos professores, o município acaba tirando dos pais de famílias a oportunidade de verem seus filhos e netos participando de forma festiva de momentos importantes no desenvolvimento psicossocial, principalmente quando esses jovens estão buscando uma autoafirmação na estruturação de suas condutas.
No lado econômico, perde também o comércio, que deixa de arrecadar recursos, principalmente as empresas de roupas, calçados, como também os salões de beleza, que cuidariam dos cabelos e maquiagem para o desfile. Logo esse que é justamente um período onde circula dinheiro, devido aos pagamentos dos servidores públicos, privados e aposentados. Pensem bem, onde está a coerência da crítica: a promoção de eventos por parte do município mexe com uma série de agregados econômicos que arrecadariam impostos para o próprio município. Está faltando dinâmica na cidade!
E  para provar a inoperância do governo municipal com relação a esse "Vexame", houve um fato que nos deixou ainda mais perplexo: saber que foi decretado ponto facultativo na sexta-feira, dia 8 de setembro!
Ora, qual a explicação para esse "feriado", se ninguém sequer trabalhou no dia anterior (07 de setembro)? Nem o Governo Estadual usou desse tipo de preguiça social. Mais uma vez, perde o comércio. A iniciativa privada está sendo esquecida pelo prefeito. Tem gente que precisa vender e arrecadar, mas não está tendo oportunidade.
Já dissemos e repetimos: ou o governo Sobrinho se assessora melhor e assim rever seus conceitos de como administrar o Município, ou poderá cair em descrédito total; pois já não bastasse os altos salários pagos pelo Município a alguns privilegiados, e os funcionários "fantasmas" que assombraram o povo; agora vem com essa de defasar o comércio local e frustrar a comunidade estudantil.
O objetivo é esclarecer ao povo alagoagrandense que certos investimentos, como por exemplo em um desfile, podem gerar lucros para toda a cidade. Não é apenas um gasto, mas um ciclo de investimento. Esse tipo de alerta se faz importante para que, nos próximos, o povo lute para que isso não se repita. Acabar com o desfile do dia 7 de setembro em nossa terra, além de ser uma aberração cívica, também é uma lástima econômica.
Sinceramente, amamos Alagoa Grande e, apesar dos pesares, amamos o nosso Brasil, por isso precisamos reagir em busca de resgatar as nossas tradições e dinâmica na cidade. Está faltando estratégia administrativa.
Esperamos que o senhor prefeito não fique deitado eternamente em berço esplêndido, vendo os filhos seus fugirem à luta. Pois, Prefeito, temos um sonho intenso, nós como brasileiros e, especialmente alagoagrandenses, somos raios vívidos de amor e de esperança. Por isso, nas próximas vezes, honre a imagem do nosso Cruzeiro e que o “Salve, Salve” do 7 de setembro esteja presente nesta Terra Adorada.

JOSÉ GILDO DE ARAUJO
JORNALISTA
DRT 4580/97
https://jornalistagildo.blogspot.com.br/

Compartilhe :

veja também

4 comentários Em: "Não à pátria amada? O prefeito Sobrinho acabou com o "7 de setembro" em Alagoa Grande"

  1. Pelo contrário quem foge da luta é o prefeito! O povo jamais viver numa cidade morta é com certeza uma que jamais acaba.

  2. Prefeito sem futuro! Mas o povo quis menos eu, não votei em ninguém não tenho participação nessa pouca vergonha nessa miséria que ta se transformando alagoa grande lixo!isso sim!!!

  3. Nunca min enganou essa criatura, tava escrito lá bem na cara dele que ele seria um prefeito fraco mas certas pessoas não pensa e acaba entregando o que é nosso nas maos de um qualquer, e ai a cidade entregue as baratas agora a bolada que entra ninguém ver ninguém sabe!.

  4. Agente só ver esse povo do prefeito com uma banheira nas maos,gente vcs procurem o que fazer porque não venham dizer que ta usando o dinheiro da prefeitura nisso não porque coisa mas barata do mundo é plastico isso é ridículo o povo quer ver trabalho uma obra de valor!.

Deixe um comentário!

Atenção: Não escreva pornografia ou ofensa pessoal.

Faça seu orçamento sem compromisso!
Faça parte desta campanha! Publicidade how to make gifs Publicidade how to make gifs Publicidade how to make gifs

últimas notícias