|

Estudantes de esporte ficam sem aulas por falta de bolas em Alagoa Grande

Baseado em experiências vivenciadas em campo de estágio constatamos que a Educação Física escolar sobre um grande desinteresse pelos alunos, principalmente no Ensino Médio.
    Este estudo teve o intuito de investigar esse fenômeno. Tendo em vista a importância da Educação Física escolar, sobre tudo na formação do cidadão de bem, porque essa evasão dos alunos e a postura atual dos educadores físicos.
    Foi realizada pesquisa bibliográfica atual sobre em tem em questão.
Tema
    O desinteresse dos alunos do Ensino Médio pelas aulas de Educação Física.
Objetivo
  • Estudar as causas principais que levam os alunos do Ensino Médio ao desinteresse pelas aulas de Educação Física.
  • Buscar compreender a postura do educador físico nessa realidade.
Problema
    Se a Educação Física é considerada uma disciplina que agrada aos alunos, gerando participação e entusiasmo no Ensino Fundamental, por que, então, observa-se um freqüente desinteresse por parte dos estudantes do Ensino Médio?
Justificativa
    A educação física escolar tem como objetivo propor uma socialização entre os alunos visando uma vida saudável. Porém, a realidade está muito longe disso, principalmente a partir das últimas séries do Ensino Fundamental II, com alunos que não valorizam a disciplina, o quanto ela mereceria.
    Existem diversos fatores que contribuem para isso, dentre eles, a inadequação dos horários em que acontecem as aulas, sobretudo as aulas práticas.
    Alunos desinteressados, professores pouco motivados, escassez de materiais e até falta de um espaço físico adequado fazem com que as aulas de Educação Física sejam apenas um motivo para os alunos não ficarem em sala de aula, perdendo totalmente o foco e o seu verdadeiro objetivo comprometendo então a formação escolar dos alunos.
    Como professores de Educação Física, conhecedores que somos da importância da imagem do professor, do modelo que representamos para nosso aluno, preocupa-nos o fato de que, no Ensino Fundamental, principalmente nas séries iniciais, as aulas de Educação Física são extremamente prazerosas e todos se mostram bastante ativos e participam, sem questionamentos, das atividades propostas. O que buscamos com este estudo é, portanto, estudar os motivos pelos quais, em um determinado ciclo de aprendizagem, que geralmente começa com os alunos do ensino fundamental II, mais especificamente a partir da 7ª série, os alunos perdem o interesse, e isso dificulta sobremaneira o trabalho do professor.
Metodologia
    A metodologia adotada foi basicamente pesquisa bibliográfica, que permitem que tome conhecimento de material relevante sobre o tema em questão.
    De modo que futuramente, este estudo possa servir como base para pesquisas futuras.
Revisão da literatura
    Segundo SANTOS (2007) as aulas de Educação Física, no Ensino Médio, vêm sofrendo com a evasão dos alunos, pois o seu conteúdo não vem ao encontro das expectativas deles. Isso acontece devido à proposta esportista que não mais lhes proporciona interesse, pois os mesmos conteúdos já foram desenvolvidos no ensino fundamental.
    Essa ênfase excessiva no desenvolvimento e na aprendizagem de habilidades esportistas nas aulas de Educação Física, gera o desinteresse e a exclusão dos menos habilidosos, (SANTOS, 2007) o que geralmente representa a maior parte dos alunos.
    Os alunos encaram a educação física como uma hora de lazer, uma hora para não ficarem dentro da sala de aula. Para SANTOS (2007) muitos professores não tem a preocupação de motivar o aluno, por isso não planejam as aulas, não tem um objetivo ou uma finalidade determinada anteriormente e limitam-se a jogar a bola para que os alunos joguem futebol ou aquilo que lhes der vontade.
    A desmotivação leva estudantes preferirem muitas vezes ficar sem fazer nada ou estudar para outras disciplinas em vez de participarem das aulas (LUNA et al). Conseqüentemente, causando a evasão das aulas de Educação Física e um fenômeno denominado de pedagogia das sombras (MACHADO et al 2010) por parte dos educadores físicos.
Porque o desinteresse dos alunos nas aulas de educação física
    É evidente o desinteresse pelos alunos em geral pelas aulas de Educação Física, mas por qual motivo? A educação física através dos seus jogos, esportes, danças, lutas é uma matéria rica para o desenvolvimento cognitivo, físico e pessoal dos alunos, então porque os alunos não dão o mesmo valor que as demais matérias?
    A literatura aponta que o principal fator da não participação dos alunos são os conteúdos realizados nas aulas, principalmente relacionados a esportes. Atualmente o esporte é o veiculo mais utilizado como forma de difusão do movimento corporal na escola (BETTI, 1999).
    Com o passar dos anos, a repetição dos conteúdos, o interesse com o mercado de trabalho e o vestibular, aliada a uma visão mais crítica das aulas, acabam gerando o afastamento dos alunos (TENORIO; SILVA, 2010) os autores ainda afirmam que esse modelo de aulas práticas, sem objetivo não contribui para objetivos mais amplos sejam alcançados pela educação física. Imaginem um aluno, que sempre jogou voleibol, durante anos da forma que é divulgada pela televisão, com as mesmas regras sem poder construir próprias regras ou questionamentos. Qual a contribuição das aulas de educação física para sua formação? (TENORIO; SILVA, 2010)
    A formação do jovem deve ser concebida integralmente: corpo, mente e espírito, desenvolvendo plenamente a personalidade do aluno. A educação física vem somar-se à educação intelectual e à educação moral. (BETTI; ZULIANI, 2002). Pensando dessa forma os alunos não devem excluir uma disciplina para dar maior enfoque a outras
    Para CHICATI (2000) os alunos que estão freqüentando as aulas de Educação física no ensino médio possuem uma carência de conteúdos, pois eles vem tendo, desde o ensino fundamental o desporto como conteúdo. O autor ainda complementa que a dança, a ginástica dentre outros conteúdos ficam deixados num plano secundário. E ele acredita que esse seja um dos grandes motivos para que os alunos do ensino médio se afastem da disciplina.
    Quando os alunos ingressam no ensino médio já trazem consigo uma bagagem motora adquirida nas etapas anteriores e esses conhecimentos devem ser ampliados, permitindo sua utilização em situações sociais (MATTOS; NEIRA, 2000). Pensando nesse sentido ministrar apenas conteúdos esportivos deixa a disciplina pobre demais em conhecimento. DARIDO et al. (1999) deixa claro que o ensino médio não pode ser uma simples repetição, do programa de educação física do ensino fundamental um pouco mais aprofundado, deve apresentar características próprias, que consideram o contexto sócio-histórico dos alunos.
    DARIDO et al.(1999) apresentam vários objetivos para o trabalho com o Ensino médio como: proporcionar o conhecimento sobre cultura corporal dos movimentos através do lazer, saúde e bem estar e expressão dos sentimentos; discussão sobre as manifestações e práticas corporais e educação para um estilo de vida ativo ensinando conceitos de atividade física, aptidão física e saúde.
    Portanto nessa fase é comum correr um impasse entre alunos e professores e no final as aulas de educação Física são transformadas em um espaço para recreação e lazer, para descontrair das responsabilidades das outras aulas (MATTOS; NEIRA, 2000).
“Aulas de Esporte” ou aulas de Educação Física?
    Para JUNIOR (2000) dos fatores que influem para que a educação física escolar seja considerada motivadora o professor de educação física constitui, sem duvidas, um dos mais importantes. Isso deixa claro que para que aja um interesse dos alunos, o professor tem um papel fundamental.
    LEAL e FERREIRA (2005) dizem que o docente encontra inúmeras dificuldades em cumprir seu oficio conforme planeja isso gera a acomodação em suas respectivas praticas pedagógica. E para eles, na Educação Física escolar, esta ação profissional se torna ainda mais evidente: os professores executam os mesmos exercícios, as mesmas atividades, indiferentes das necessidades e características dos alunos.
    JUNIOR (2000) deixa claro em aula os professores não propõem conteúdos novos, inovadores ou criativos. Sendo assim, os mesmo conteúdos são trabalhados desde o ensino fundamental.
    A prática esportiva é tratada por um número considerável de professores como a própria Educação Física, ou seja, estes professores lecionam aulas que podemos denominar como “aulas de esporte” e não educação física (BETTI, 1999). Um dos fatores que contribuem para o ensino apenas do esporte é a negação de outros conteúdos da Educação Física (MARTINS, 2012). Ele ainda afirma que os professores se sentem seguros em aplicar aquilo que ele já vivenciou diversas vezes, e também é comum encontrar na grade curricular de diversos cursos de Educação Física os mais variados esportes como conteúdo. Isso de fato contribui para apenas aulas esportistas no ambiente escolar.
    O esporte como conteúdo nas aulas de Educação Física é trabalhado sem nenhuma contextualização e sem nenhuma construção de um senso crítico sobre suas diferentes manifestações (BETTI, 1999).
    Eu sinto que o esporte em si, não caracteriza o problema nas aulas de Educação Física escolar, e sim os mesmos esportes (futsal, vôlei, basquetebol e handebol) e as outras modalidades onde ficam? Tendo em vista que os currículos que formam os professores incluem disciplinas como dança, capoeira, judô, atividades expressivas entre outras, como explicar a pouca utilização destes conteúdos? (BETTI, 1999).
    Para BARROS e DARIDO (2006) quando é defendida a idéia de “esporte na escola”, destaca-se a importância de um outro tratamento ao esporte, pois este deixará de ser trabalhado para um fim. Eles ainda dizem, que o esporte é um forte integrante cultural de nossa sociedade, e a partir do momento que foi inserido na escola, sempre teve grande influencia na Educação Física escolar. Mas eles compartilham a idéia de que o esporte não contempla todas as necessidades da Educação Física escolar
    BETTI (1999) cita que a questão do espaço em algumas escolas é um assunto delicado, ficando claro nesse ponto:
    “Varias escolas que conheço não possuem um espaço apropriado para a pratica da Educação Física. Entretanto, a restrição a que se impõe o próprio professor é, muitas vezes, o maior empecilho a pratica. Isto ocorre justamente pela associação aula de Educação Física/esporte, ou seja, o professor sempre imagina uma aula na quadra, com bolas oficiais, etc.” (BETTI, 1999 p.29)
    Em virtude disso a escola acaba preocupando-se com a organização do espaço físico voltado aos padrões esportivos vigentes e adapta este espaço apenas com fins de competições esportivas (BETTI, 1999).
    Nesse contexto esportivo, das aulas de Educação Física, MACHADO et al (2010) diz que o fenômeno que mais chama a atenção no panorama atual da prática pedagógica em Educação Física nas nossas escolas é que muitos professores resumem sua ação em observar os seus alunos. E eles denominam estes professores como rola bola/ ou como pedagogia da sombra.Sendo assim, deixo a seguinte pergunta: o esporte é capaz de suprir todos os objetivos que a Educação Física, como disciplina escolar tem? Eu creio que não.
    SANTOS (2007) confirma essa afirmação, dizendo que os programas de Educação Física organizados em torno do esporte, além de não alcançar os objetivos propostos levam à exclusão e à evasão das aulas.
Como motivar os alunos a participarem das aulas?
    Afinal, como devemos motivar os alunos a realizarem as aulas de Educação Física? Diante de todas as adversidades existentes seria possível os educadores físicos motivarem os alunos a realizar aulas de uma disciplina que ao menos os reprova?
    Para ALMEIDA et al (2008) uma melhora na conduta dos professores de Educação Física resultaria em uma postura mais comprometida dos alunos. Os autores ainda afirmam que cabe ao professor de Educação Física estimular e incentivar a participação, para que os alunos se relacionem cada vez melhor e atribuam valor a essa disciplina (p.13).
    CHICATI (2000) diz que a motivação não se demonstra na mesma intensidade em todas as pessoas, pois temos interesses diferenciados. Mas a autora, também segue o raciocínio de que o professor deve estar consciente da busca por conteúdos diversificados e motivantes, para que se consiga atender aos interesses contidos nas turmas, para que haja a aprendizagem se faz necessário melhor primeiramente o corpo docente, para que o professor saiba motivar seu aluno
    Na Educação Física, se o professor possuir muita habilidade em ministrar seus conteúdos de forma a fazer com que o aluno se interesse, a aprendizagem dos conteúdos será mais fácil e intensa (CHICATI, 2000).
    Devemos associar a educação física escolar em contextos que refletiam a realidade da nossa juventude e cultura brasileira pois para SANTOS (2007) o papel dessa disciplina esta relacionado ao ensino e aprendizagem de fatos, conceitos, princípios, procedimentos, normas e atitudes ao movimento humano. Devemos então criar possibilidades para que os alunos desenvolvam outras capacidades, não só as habilidades esportivas, pois estamos formando cidadão e não atletas.
    BETTI e ZULIANI (2002) diz que o professor de Educação Física deve auxiliar o aluno a compreender o seu sentir seu relacionar-se na esfera da cultura corporal do movimento. Mais uma vez, podemos ver que o professor tem total responsabilidade em motivar os alunos, dando sentido à pratica das aulas de Educação física. Sendo assim deve-se procurar motivar o aluno sempre, para que ele se sinta cada vez mais interessado em aprender (CHICATI, 2000).
    Porem o autor alerta que deve-se ter em mente que o problema da motivação não está centrado no aluno, pois os outros membros da escola também podem apresentar comportamentos que evidenciem a falta de motivação (p.100) . Ainda segundo ele isso se torna ainda mais prejudicial se o afetado a partir do corpo docente, afinal é o professor o responsável pela aprendizagem.
    Para BARNI e SCHNEIDER (2003) um fator importante da adolescência é a formação da identidade e a construção da personalidade. E segundo os autores a Educação Física, como parte integrante da escola, tem sua colaboração na construção do ser humano. Sendo assim, as atividades desenvolvidas devem colaborar na formação de sua personalidade e de sua participação ativa na sociedade.
    De fato, a Educação Física deve assumir a responsabilidade de formar um cidadão capaz de posicionar-se criticamente diante das novas formas da cultura corporal de movimento (BETTI e ZULIANI, 2002).
Considerações finais
    O objetivo desse estudo foi investigar os motivos pelo desinteresse dos alunos e também dos atuais educadores físicos escolares, principalmente no Ensino Médio. Assim, após realizar a pesquisa, concluímos que o motivo se deve, entre outros fatores, a esportivização das aulas e dos conteúdos.
    A maioria dos professores não tem a preocupação de motivar o aluno, nem planejam suas aulas, e acabam limitando- se a simplesmente jogar a bola para que os alunos joguem futebol ou façam aquilo que lhes der vontade. E como sabemos, isso não é o objetivo da Educação Física escolar.
    Os professores devem ter ciência da real importância da Educação Física. Temos que entender que a Educação Física é importante na formação dos alunos, não podemos deixar que as aulas sejam apenas um momento de recreação e lazer para os alunos. Assim como todas as outras disciplinas, devemos propiciar o desenvolvimento dos alunos do Ensino Médio.
    O problema em estudo permitiu concluir que o esporte e da prática pela prática no ambiente escolar ainda se encontra fortemente vinculado as aulas. Desse modo, as aulas tornam-se ramificações do esporte, tirando completamente todo o conhecimento que a disciplina tem a oferecer aos alunos.
Referências bibliográficas
  • ALMEIDA, B.S.V.; ALMEIDA, B.S.F.; DIAS, F.A.; ALBUQUERQUE, I.V.; LOPES, M.S. Dificuldades encontradas na educação física escolar que influenciam na não-participação dos alunos: reflexões e sugestões. Rio de Janeiro, 2008. 15p. Dissertação (Pós-Graduação)-Universidade Gama Filho.
  • BARROS, A.L.R.; DARIDO, S.C. Escola, educação física e esporte: possibilidade pedagógicas. São Paulo, v.1, n.4. p. 101-114, 2006.
  • BARNI, M.J.; SCHNEIDER, J.E. A educação física no ensino médio: relevante ou irrelevante. Santa Catarina, 2003. 11p. Dissertação (Pós-Graduação)-Instituto Catarinense de Pós-graduação.
  • BETTI, M.; ZULIAN, L. R. Educação Física escolar: uma proposta de diretrizes pedagógicas. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte. São Paulo, v. 1, n.1, p. 73-81, 2002.
  • BETTI, I.C.R. Esporte na escola: mas é só isso professor? São Paulo,v.1.n.1,25-31, 1999.
  • CHICATI, K.C. Motivação nas aulas de educação física no ensino médio. Maringá, v.11, n.1, p.97-105, 2000.
  • DARIDO, C.S.; GALVAO, Z.; FERREIRA, A.L.; FIORIN, G. Educação Física no ensino médio: reflexões e ações. São Paulo, v.5,p.138-144, 1999.
  • JUNIOR, J.M. O professor de educação física e a educação física escolar: como motivar o aluno? Maringá, v.11,n.1, 107-117, 2000.
  • LUNA, C.L.F.; SILVA, F.W.C.; ANDRADE, G.P.; VIANNA, J.A. Evasão nas aulas de educação física escolar. Rio de Janeiro, 2008. 12p. Dissertação (Graduação)- Instituto de educação Sarah Kubitshec, Universidade Estácio de Sá.
  • MACHADO, T.S.; BRACHT, V.; FARIA, B.A.; MORAES,C.; ALMEIDA, U.; ALMEIDA; F. A. As práticas de desinvestimento pedagógico na educação física escolar. Porto Alegre, v.16.n.02, p.129-147, 2010.
  • MARTINS, V.R. O esporte nas aulas de educação física: uma problemática na prática dos docentes. EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires, v.17, n.167, 2012. http://www.efdeportes.com/efd167/o-esporte-nas-aulas-de-educacao-fisica.htm
  • MATTOS, M.G. NEIRA,M.G;.Educação Física na adolescência: construindo o conhecimento na escola. São Paulo: Phorte Editora, 2000.
  • SANTOS, M.P.C. Evasão nas aulas de educação física no ensino médio: compreendendo o fenômeno. Bauru, 2007.16p. Dissertação (Graduação)-Departamento de educação física, Universidade Estadual Paulista
  • TENORIO, J.G.; SILVA, C.L. Educação Física escolar: reflexões sobre a não participação dos alunos nas aulas. Encontro Nacional de Educação - ENAED. São Paulo, v.1, n.1, 2011.

Compartilhe :

veja também

1 comentários Em: "Estudantes de esporte ficam sem aulas por falta de bolas em Alagoa Grande"

  1. A secretaria de esporte de AG é fraca, falta quase tudo em todo canto, ex: Ginásio não tem rede, bola, as traves estão só o bagaço...

Deixe um comentário!

Atenção: Não escreva pornografia ou ofensa pessoal.

Faça seu orçamento sem compromisso!
Faça parte desta campanha! Publicidade how to make gifs Publicidade how to make gifs Publicidade how to make gifs

últimas notícias