|

Baixa vazão da água da transposição na Paraíba é investigada pelo MPF

A vazão da água da transposição do Rio São Francisco deve ser informada ao Ministério Público Federal (MPF), em até 72 horas. A procuradoria da República em Monteiro, no Cariri da Paraíba, que acompanha o assoreamento do Rio Paraíba, quer evitar possível perda da vazão de água. O MPF alerta que “é visível na cidade de Monteiro que a passagem da água ocorre de forma lenta, a indicar baixa vazão”.
Foram oficiados pelo MPF a a Secretaria de Infraestrutura Hídrica do Ministério da Integração Nacional e a Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa). A procuradoria também quer saber quando as águas do São Francisco chegarão ao açude Epitácio Pessoa (Boqueirão), que abastece Campina Grande e região.
O MPF quer saber qual a vazão entregue pelas bombas que enviam água para o canal da tranposição da cidade de Monteiro; qual a vazão entregue no leito do Rio Paraíba (final do canal na cidade de Monteiro); e qual a vazão que está chegando ao açude de Poções e irá percorrer na obra de tomada complementar de água (“rasgo”).
O MPF na Paraíba solicitou, ainda, que a secretaria do ministério envie informações para que o órgão em Monteiro possa acessar o Projeto de Integração do Rio São Francisco em portal próprio, conforme compromisso voluntário assumido em reunião no dia 8 de março, ainda não cumprido.



G1PB

Compartilhe :

veja também

0 comentários Em: "Baixa vazão da água da transposição na Paraíba é investigada pelo MPF"

Deixe um comentário!

Atenção: Não escreva pornografia ou ofensa pessoal.

Faça seu orçamento sem compromisso!
Faça parte desta campanha! Publicidade how to make gifs Publicidade how to make gifs Publicidade how to make gifs

últimas notícias